O padre Jacek Gniadek levanta a hóstia durante a Santa Missa na Tanzânia.

Quem Somos

Pe. Jacek Gniadek na Tanzânia

Não é surpresa que a Palavra de Deus esteja no coração de quem somos.

Inspirado pelo Espírito Santo, Stº. Arnaldo Janssen fundou a Sociedade do Verbo Divino para continuar o trabalho que Jesus começou. Realizamos a sua missão pela fé no amor de Seu Pai e nos serviços que prestamos em seu nome.

Como missionários, esforçamo-nos para tornar visível o amor de Deus na nossa própria vida bem como na daqueles a quem servimos. Como uma comunidade etnicamente diversa, procuramos manifestar a unidade celebrando as nossas diferenças. Os nossos laços são fortalecidos por compartilharmos a oração, celebrarmos a eucaristia e ouvirmos atentamente a Palavra de Deus. Trabalhamos primeiramente onde o evangelho não foi pregado ou não foi pregado na sua totalidade. Trabalhamos onde a igreja local ainda não é viável. Nesses lugares, dedicamo-nos especialmente a servir os pobres e oprimidos.

O Espírito Santo inspira-nos e guia-nos em tudo o que fazemos. Isso  permite-nos discernir a vontade de Deus, ajudando-nos a entender o que o evangelho quis dizer quando foi escrito e o que significa hoje. O Espírito ajuda-nos a ler os sinais dos tempos e como aplicar o evangelho em circunstâncias específicas. Não importa onde servimos, mantemos uma conversa e um relacionamento respeitoso com a comunidade local. Esse 'diálogo profético'  ajuda-nos a discernir os novos caminhos pelos quais o Espírito Santo pode estar nos guiando.


Nos esforçamos para:

Padre Mariusz Mielczarek ouvindo as confissões em Bolívia

Chegarmos até aqueles que não têm fé ou que estão procurando a fé.

Isso inclui aqueles que foram afastados da Igreja e aqueles que foram descritos como “requerentes de fé". O relacionamento é mutuamente benéfico porque, quando compartilhamos a nossa fé com aqueles que não têm ou que estão procurando, descobrimos as deficiências na nossa própria fé e como resultado somos convidados a crescer.

Nosso chamado à missão é:

"Um chamado para alcançar os que buscam a fé e as pessoas que não têm uma comunidade de fé, para se envolverem na evangelização primária e na re-evangelização.” (XV Capítulo Geral - 2000)

Padre Kazimierz Abrahamczyk durante a Santa Missa com emigrantes coreanos

Engajar num diálogo respeitoso com diferentes culturas para construir a unidade e remover qualquer estigma de divisão.

Aprender um novo idioma ou entrar numa nova cultura não é uma tarefa fácil. Requer autodisciplina e um pequeno sacrifício que termina com uma grande recompensa. O resultado é um relacionamento mais profundo com outras pessoas que aprimora a nossa própria compreensão do evangelho e convida-nos à união.

Nosso chamado à missão é:

"Um chamado ao diálogo profético com pessoas de diferentes culturas, a fim de aprender e compartilhar a diversidade dos dons dados pelo Deus da Vida.” (XV Capítulo Geral 2000).

O missionário Verbita do Vietnã com crianças no parquinho em Paraguai.

Seguir o exemplo de Jesus de trazer a boa nova aos pobres.

Embora muitas vezes pensemos nos pobres como aqueles que carecem de recursos materiais, o termo é mais abrangente do que isso. Inclui aqueles que são oprimidos ou marginalizados devido ao seu género, raça, aparência, capacidade física, idade, persuasão política, educação ou outras razões. Somos chamados a construir pontes de solidariedade entre todas as pessoas, independentemente do seu estatuto social ou económico.

Nosso chamado à missão é:

"Um chamado ao diálogo profético com os pobres e marginalizados do nosso mundo, buscando promover o desenvolvimento humano integral.” (XV Capítulo Geral 2000)

Padre Zdzislaw Grad com Reis Cristãos em Madagascar

Refletir no que o Vaticano II nos ensinou - o profundo respeito que devemos aos que não compartilham a nossa tradição e nossa fé.

Actualmente o nosso mundo é frequentemente afligido pela suspeita daqueles que não compartilham a mesma fé religiosa. Promovemos tolerância, abertura e respeito por aqueles que seguem outras tradições.

Nosso chamado à missão é:

"Um chamado para estarmos mais comprometidos com diálogos proféticos com as outras igrejas cristãs, com seguidores de outras tradições religiosas e com pessoas comprometidas com diversas ideologias.” (XV Capítulo Geral 2000)


Os Nossos Princípios:

P. Bernard Latus celebrando a Missa com criançasApostolado bíblico

O estudo, a oração e a pregação da Bíblia foram fundamentais na vida de Stº. Arnaldo Janssen. Era natural que ele promovesse isso entre os seus missionários, como continuamos a fazer hoje.

Comunicação

Stº. Arnaldo Janssen compreendeu a necessidade de conscientizar os leigos da actividade missionária e de os animar a participar nela. O sucesso dos esforços missionários requer um compromisso que se estende além do missionário individual até à comunhão de toda a Igreja.

P. Thien ajudando pobres na paróquia Saint ThomasAnimação Missionária

St. Arnaldo Janssen compreendeu a necessidade de conscientizar os leigos da atividade missionária e de os animar a participar dela. O sucesso dos esforços missionários requer um compromisso que se estende além do missionário individual até a comunhão de toda a Igreja.

Justiça, Paz e Integridade da Criação (JPIC)

Inspirados pelo nosso fundador, esforçamo-nos para oferecer o nosso serviço em causas de  justiça social, esforços de paz e cuidados com a natureza. Isso incluí a  nossa dedicação ao trabalho de defesa com organizações como a VIVAT Internacional, que promove os direitos humanos ao nível local, nacional e internacional.

Young adults with candles

 

Doe Hoje ao Verbo Divino!

A sua doação vai ajudar os nossos missionários a levar o Evangelho de Cristo aos pobres e aos necessitados do mundo inteiro.

DOE HOJE